CHEGADA NO PARAÍSO - CAP 31

- Sim, Xandro. Donis Mirdoff queria sua vianda a qualquer custo e sabia que você era um homem solitário. Assim, contratou um suprabreto para faze-lo se apaixonar perdidamente por ela e, depois, convence-lo a vir para Andrômeda. Ele me mandou dar um empurrãozinho naquele dia.
- Era você???
- Sim. Donis conseguiu exatamente o que planejara.
Xandro voltou-se para Cássia. Queria estar sendo enganado.
- Cássia! Diga que eles estão mentindo!
Cássia estava jogada no chão. A cabeça baixa, olhando para baixo, assentindo, demonstrou que aquilo tudo não era mentira. Alaústre começava a ficar nervoso.
- Espero que vocês apaguem toda essa informação de nossas cabeças quando isso acabar!
- Acho que ele não tem com que se preocupar. Não estará vivo para se lembrar. - respondeu Catarina com ironia.
- O quê?
- Da primeira vez que eu "ouvi" os pensamentos de Xandro ao perceber que eu tinha poderes, imediatamente cuidei de apagar essa informação e colocar uma sugestão para que ele nunca achasse que eu era uma bruxa. Foram coisa de segundos e não pude descobrir como ele havia me descoberto. Agora que sei, é simples deduzir que seu amigo é um arquivo vivo com o nome de todos os bruxos da cidade.
- E daí?
- Extrair as informações costuma ser um pouco, digamos, doloroso.
Alaústre deduziu:
- O Anão! Foi por isso que ele morreu! Você extraiu todo o conhecimento dele!
- Assim como vamos fazer com seu amigo Xandro. - concluiu Amaranto.
- Mas vocês também são bruxos! Por que perseguir seus iguais?
- Não queremos perseguir. Apenas... persuadir. - explicou Catarina.
- Persuadir?
- Eu e Yusuke sempre fomos muito discretos, mas agora que Leonard sairá do nosso caminho seria bom convencer as outras pessoas fazerem o que queremos, ou elas serão perseguidas e mortas.
- Leonard sair do caminho? Como assim?
- A única coisa que ele amava mais que o poder era Maruska e, agora que ela está morta, se tornou perigoso. Ainda mais que ele sabe que fui eu quem mexeu com sua mente fazendo ele deixar a sua amada morrer nas mãos dele. Teremos de eliminá-lo.
- E isso será ótimo! - comentou Amarnto com o sorriso.
- Yusuke! Já disse que você está ficando viciado com esse poder! Toda vez que o usa, você fica maior! As pessoas vão acabar percebendo!
O policial respirou fundo. Finalmente disse:
- Será rápido e indolor.
Catarina olhou para baixo e disse:
- Não. Depois do que ele me fez passar, você pode torturá-lo o quanto quiser.

0 comentários:

Postar um comentário

ANTES DE COMENTAR:

- não escreva em CAIXA ALTA;
- não divulgue links;
- não escreva com miguxês, internetês e similares;
- respeite as opiniões apresentadas.

Obrigado.

 
T.E.C. © 2010 | Designed by Trucks, in collaboration with MW3, Broadway Tickets, and Distubed Tour | Customized by Sybylla