CHEGADA NO PARAÍSO - CAP 20

Adam permaneceu no quarto de Layana por toda a noite. Xandro havia medicado-a e ela não acordaria até o dia seguinte.
Porém, por toda noite, ele pôde ouvir a paciente gemendo frases como "Quem fez isso com você?" ou "Por quê?", uma angústia que contaminava o ex-soldado.
Amanheceu. Logo cedo, Xandro e Cássia chegaram carregando um pesado caixão feito de pedra bem esculpida, muito bonito.
- Onde conseguiram este caixão? - perguntou Donis.
- Alaústre gosta de esculpir nas horas vagas. - respondeu Cássia.
- Deixe-me ajudar! - ofereceu-se Adam.
Carregaram o caixão até a sala, onde ele foi depositado bem no centro, sob uma mesa.
- Eu ajudo vocês nos preparativos para o velório aqui. Alaústre já saiu pelas redondezas para avisar os amigos e vizinhos de vocês para virem de despedir de Roger aqui. - disse Cássia.
- Como está Layana? - perguntou Xandro.
- Tão bem quanto possível, Xandro... - respondeu a própria Layana, já com os olhos cheios de lágrimas.
- Eu vou procurar Amaranto para dizer o que descobri. - respondeu o biólogo, já procurando uma desculpa para sair.
- Deixe-me levar você, Xandro. Eu tenho um cavalo.
Não houve muita conversa no caminho para a delegacia. Adam queria chegar logo pois, assim como Layana, ele queria que tudo se resolvesse logo.
- Posso ir com você? - perguntou a Xandro quando chegaram na delegacia.
- Claro. Venha.
Assim eles entraram. A delegacia não era um local muito grande. Um par de celas no porão e apenas uma mesa onde Yusuke trabalhava. Ele mal percebeu quando a dupla entrou.
- Xandro! Adam!  no que posso ajudá-los? - acordando de seus pensamentos e estendendo sua mão coberta com uma luva de couro feita já naquele planeta.
Cumprimentaram. Adam achou o aperto de mão bem mais forte que o habitual.
- Desculpe. Machuquei-o? Ando malhando muito. - desculpou-se o capitão Amaranto.
Antes que Adam respondesse, Xandro interrompeu:
- Capitão, temos um grave crime em nossas mãos: Roger foi assassinado!
Yusuke levou um baita susto.
- C-como é?
- Sim! Ontem encontramos o corpo dele queimado no centro de uma grande área queimada. O local brilho vermelho de ontem, que deve ter sido uma explosão de chamas.
- Hum... será que Roger não era um bruxo?...
- Sim. Ele era. Eu já tinha certeza disso...
- Ora! Então foi só mais um caso de bruxaria! Um maldito que perdeu o controle do seu poder...
- Esse é o problema! Ele não morreu queimado! Morreu afogado!
Yusuke ficou branco:
- Afogado??? Como você sabe???
- Eu levei o corpo ontem para uma autópsia. Pude concluir...
- Xandro! Isso é responsabilidade da polícia! Eu devia prender você por obstrução! - disse o capitão furioso.
- Capitão Amaranto, temos algo mais sério com o que nos preocupar! Há alguém com poderes mágicos sobre o elemento água! Alguém muito poderoso!
- Do que você está falando agora??? - perguntou quase gaguejando.
- O local do crime indica que Roger estava fora do chão quando explodiu. Eu acredito que ele combatia outro mago que devia estar afogando-o numa bolha de água. Para tentar sobreviver, ele deve ter usado todo o seu poder para evaporar a bolha com seu fogo. Por isso vimos aquele brilho. O poder foi tão forte que queimou ele próprio e a área em volta.
Yusuke sentou. Pôs a mão na cabeça:
- Nunca ouvi uma história tão maluca! Por mim, quero que se dane o Roger. Ele era um bruxo e todo bruxo tem que morrer. Se um dia eu achar esse tal "mago da água", vou cumprimentá-lo antes de matá-lo.
- Mas ele merece justiça! - interveio Adam.
- E ele já teve. Vão embora agora antes que eu precise trancar vocês!...

0 comentários:

Postar um comentário

ANTES DE COMENTAR:

- não escreva em CAIXA ALTA;
- não divulgue links;
- não escreva com miguxês, internetês e similares;
- respeite as opiniões apresentadas.

Obrigado.

 
T.E.C. © 2010 | Designed by Trucks, in collaboration with MW3, Broadway Tickets, and Distubed Tour | Customized by Sybylla