CORES BARULHENTAS - CAP 14

- Você se chama Alex? - estranhou o soldado à porta de embarque da nave.
- Sim! Esta é minha identidade! - mostrou uma moça morena com gravidez um pouco adiantada.
Enquanto o soldado conferia, Roger chegou puxando duas malas pesadas.
- Roger, filho do Senador brasileiro. O senhor eu já reconheço. - afirmou o soldado.
- Que bom. Conhece minha prima Alex?
- Eu estava conferindo a identidade. Parece que houve um erro no cadastro...
- Era pra ser um homem, não é? Acontece com freqüência. Muita gente não sabe que Alex também pode ser feminino. Eu levo ela lá dentro e resolvo esta confusão. Você tem muita gente pra receber e a fila está aumentando.
- Obrigado, senhor. - agradeceu o soldado.
Uma vez dentro da nave, Rosa respirou aliviada.
- Eu achei que não ia conseguir...
- Não se preocupe. Eu já adaptei sua câmara de congelamento. Você e seu filho ficarão bem.
- Mas como você conseguiu esta identidade falsa para mim?
- Bom... Eu compro uns produtos com uns amigos que têm contato com outros amigos... - disfarçou o filho do senador.
- Eu não sei como agradecer a tudo que tem feito por mim... - mudou de assunto.
- Por vocês. O filho de meu melhor amigo está aí e vou protege-lo.
Rosa beijou o rosto de Roger.
- Josias tinha o melhor amigo que alguém poderia ter.
- Será, mesmo? - falou uma voz em tom irônico.
Era Gina. Estava mal humorada desde soube da traição do ex-namorado.
- Gina, você preferia ter ficado? - perguntou surpreso Roger.
Sua expressão ficou triste.
- Eu não sei. Fiquei muito aborrecida quando soube que ele queria me deixar na Terra pra morrer. Mas não sei se foi certo o que você fez. Talvez fosse melhor eu ter ficado mesmo...
- Menina! Aquele homem era um traste! Ninguém que fez aquilo com você merece seu sacrifício! Você tem mais é que agradecer o Roger aqui! - defendeu Rosa.
- Certeza que ela era namorada do seu amigo? - perguntou Gina em tom malicioso.
Sem jeito, Roger despediu-se e foi para sua sala de congelamento. A nave estava cheia de pessoas indo de um lado para outro. Robôs C.G.MEX cuidavam de distribuir o pessoal e informar onde eram suas salas de congelamento. Os mais ricos e poderosos tinham suas cápsulas dentro de salas privativas e com sistema extra de segurança. Os demais ficavam em salas com muitas unidades de refrigeração. Rosa e Gina ficaram nas gerais, enquanto que o senador e o filho tinham suas privativas.
Quando chegou à sua sala, Roger encontrou o pai.
- Desistiu de trazer seu amigo Ogro conosco?
Aquela pergunta gelou o sangue do rapaz:
- O... O senhor sabia o tempo todo que o primo Alex era meu amigo Ogro?
- Sim, mas pelo esforço que você dedicou a esta nave, achei que você merecia trazer seus amigos.
- E você sabe que trouxe a Rosa no lugar dele?
O senador sorriu:
- Aqueles meses trabalhando o transformaram num homem bem melhor do que eu esperava. Você sacrificou um amigo para ajudar quem precisava mais. Eu estou muito orgulhoso de você, filho!
Raramente Roger escutava um elogio tão sincero de seu pai. Guardou as malas num pequeno armário e pai e filho entraram em suas respectivas cápsulas de hibernação.
- Vejo você em 10000 anos! - despediu-se o pai.
Uma hora depois, toda a tripulação humana já estava hibernando. Neste momento, um robô C.G.MEX foi até o armário de Roger e retirou suas malas, conforme a programação do jovem. Arranjou uma sala e improvisou um vaso gigante para pôr a terra que Roger havia trazido e plantar uma pequena muda de maconha.

0 comentários:

Postar um comentário

ANTES DE COMENTAR:

- não escreva em CAIXA ALTA;
- não divulgue links;
- não escreva com miguxês, internetês e similares;
- respeite as opiniões apresentadas.

Obrigado.

 
T.E.C. © 2010 | Designed by Trucks, in collaboration with MW3, Broadway Tickets, and Distubed Tour | Customized by Sybylla