RISCO DE MARTE - CAP6

Caio não conseguia entender: o que causara aquela explosão? Os jatos não podiam ter bombardeado a colônia. Sabiam que existiam agentes de segurança lá.
Mas a preocupação maior era com Wood. Pisou fundo. Em 30 minutos, ele dava entrada no hospital. A doutora Gabriela os recebeu.
Não havia nada o que falar. Caio já avisara a colônia Roma pelo rádio que estaria chegando com o colega extremamente ferido. Logo que chegaram, Wood foi colocado numa maca e levado para a sala de operações.
Caio sentou-se na sala de espera, e começou a aguardar. Seus pensamentos não se concentravam no amigo, mas na explosão que matara o resto de seu pelotão.
Uma hora depois, Gabriela adentrou a sala.
-Doutora Caetano. Como está o agente Wood?
-Ele já está estável. Logo vai sair da UTI. Você o trouxe na hora certa.
Porém, a atenção de Caio logo foi desviada com a chegada de um agente de segurança:
-Soldado Caio. O General Amir o aguarda.
Caio levantou-se e seguiu para o carro oficial que o esperava. Ele sabia que desacatar ordens era motivo de demissão. Como já dissera, a Viguroh era tudo para ele. Sentia uma forte angústia dentro daquele carro a caminho da sala do general.
-Pelo menos eu salvei uma vida... – pensava tentando se consolar.
Logo ele adentrou a sala do general.
-Agente Caio se apresentando! – fez continência.
-À vontade, agente. Por favor, sente-se.
Caio sentou-se na cadeira em frente à mesa do general. Ele esperava muita coisa naquele momento, mas nunca a pergunta que se seguiu:
-Agente, por que o sargento e seus homens não saíram da colônia Xangai?
-Como assim? – perguntou com um engasgo de surpresa.
-Não soube que o sargento e outros homens ficaram?
-Eu... nós... Eu e mais cinco agentes fomos atacados por seres que pareciam mortos-vivos. Sobrevivemos apenas eu e o agente Wood.
-O sargento também foi atacado?
-Segundo sua última comunicação, ele e seu esquadrão estavam seguros dentro do blindado deles, aguardando ordens do comando da Terra.
O sargento coçou a barba. Respirou fundo e falou:
-Então é isso. Estavam ocorrendo manchas solares, que dificultaram as transmissões da Terra para Marte. O pelotão dele não deve ter escutado quando recebeu ordens para se retirar. Mas, como vocês escaparam?
-O agente Wood estava à beira da morte. Recebemos ordens para nos retirar. – disfarçou Caio.
-Hum... isso é um pouco irregular, mas o sargento deve ter tido seus motivos. E foi acertado, caso contrário todos morreriam.
Caio respirou fundo também.
-Foi uma tragédia... Posso me retirar, senhor?
-Sim. Siga de volta para o hospital. Verifique se você não está carregando nenhuma doença.
-Como assim?
-Aqueles seres que vocês enfrentaram deviam ser pessoas doentes com algum vírus marciano desconhecido. Verifique antes de voltar à ativa.

0 comentários:

Postar um comentário

ANTES DE COMENTAR:

- não escreva em CAIXA ALTA;
- não divulgue links;
- não escreva com miguxês, internetês e similares;
- respeite as opiniões apresentadas.

Obrigado.

 
T.E.C. © 2010 | Designed by Trucks, in collaboration with MW3, Broadway Tickets, and Distubed Tour | Customized by Sybylla