RISCO DE MARTE - CAP3

Os agentes de segurança de Marte tinham um papel duplo: agiam tanto como policiais no perímetro urbano quanto como militares fora dele. E foi como este último que a tropa de Caio foi convocada naquela madrugada de Capricórnio (terceiro mês do ano marciano, segundo o calendário dariano de 24 meses, com 28 dias, em geral, para cada mês).
Eram 4h00 quando o toque da alvorada tocou. Curiosamente, a duração dos dias em Marte é muito parecida com a da Terra: 24 horas, 39 minutos e 24 segundos. Assim, para manter o padrão de 24 horas, a duração dos segundos no planeta vermelho tem 27,364 milissegundos a mais do que no planeta azul.
Porém, Caio não seguiu para a sala de pauta, onde normalmente se definem os trabalhos que os agentes executam durante o dia. Naquela manhã, o toque ordenava sua presença na sala de comando, onde são definidas incursões militares.
Como sempre, Caio foi o primeiro a chegar. Logo chegou o Sargento Tomas e alguns de seus colegas de batalhão, como os soldados Wood e Kintê. Alguns minutos depois, o Tenente Comandante Baron chegou:
-Os senhores foram convocados para verificar o que aconteceu à colônia Xangai.
Um projetor começou a exibir um mapa da região, mostrando a colônia de Caio (Roma) no centro do mapa, deslocando para um close na Xangai logo em seguida.
-A Xangai é uma colônia recente. Tem apenas 5 anos. Porém, ela está sem comunicação há uma semana. - prosseguiu.
-Comandante, qual foi a última notícia recebida da Xangai? - perguntou o sargento.
-A última notícia era um pedido para envio de peças. A refinaria da colônia havia parado de funcionar e estava refinando petrume com um refinador portátil de emergência.
-Temos as peças?
-Infelizmente não. Teremos de levar alguns galões de combustível refinado conosco.
Wood torceu o nariz. Petrume refinado cheirava mais forte que gasolina. Como iriam em veículos fechados, teriam que aguentar o fedor por toda a viagem.
Dois blindados sairiam da base na colônia Roma em direção à refinaria. Enquanto embarcavam os galões, Caio viu um velho amigo:
-Seu Abrão! Tudo bem?
Um senhor idoso deu um largo sorriso para o soldado.
-Tudo. Vocês vão dar um passeio por Marte?
-Temos um trabalho lá fora. Mas o que o senhor faz aqui? Quase não o vejo longe do poço de petrume de Roma.
-Verdade. Mas agora estou me preparando para minhas férias na Terra.
-Na Terra? O senhor tem parentes ou amigos lá?
-Não, mas já estou velho. Quero dar uma última olhada no meu planeta natal antes de morrer.
-Morrer? O senhor é forte feito um cavalo!
-Bondade sua, mas você sabe que em Marte todos somos mais fortes.
-Eu não estou somente sendo gentil. O senhor é saudável mesmo. Mais saudável que muitos de meus colegas jovens.
-Acho que é o trabalho nos poços. Fazemos ginástica todos os dias.
-Vai ver que é por isso que somente os idosos podem trabalhar nos poços. Isso deve mante-los saudáveis e melhora a imagem da Viguroh.
O sargento chamou Caio. Este se despediu e entrou no veículo.

2 comentários:

  1. Sybylla disse...:

    Muito bacana o texto. Comecei a ler pelo orkut. Parabéns.

    Posso sugerir um banner para que eu possa divulgar no meu blog? Se te interessar, meu blog é http://momentumworld.blogspot.com/

    Valeu, parabéns!

  1. Narrador Briee disse...:

    Opa! Com certeza! Vamos divulgar seu site tb!

Postar um comentário

ANTES DE COMENTAR:

- não escreva em CAIXA ALTA;
- não divulgue links;
- não escreva com miguxês, internetês e similares;
- respeite as opiniões apresentadas.

Obrigado.

 
T.E.C. © 2010 | Designed by Trucks, in collaboration with MW3, Broadway Tickets, and Distubed Tour | Customized by Sybylla