Conto (capítulo 1) - Dejavú

-Sejam bem-vindos à escola do amanhã!
Um homem gordo, relativamente calvo e de aparência bem cuidada falava diante de uma equipe de filmagem.
-Aqui estão reunidas as grandes mentes deste país! Nossa universidade faz questão de apoiar pesquisas e contratamos pesquisadores que são tão mal reconhecidos no Brasil! Agora vamos conhecer algumas das pesquisas feitas aqui!
-Pode parar a filmagem! – ordenou o diretor de vídeo.
A pequena equipe de três pessoas recolheu as máquinas, enquanto o gordo apresentador, o Reitor Ourives, arrumava a roupa.
-Fiquei bem, Olavo?
-Claro, Reitor. Vamos agora mostrar algumas das pesquisas que o senhor achar melhor. – respondeu o diretor.
A dupla de dirigentes seguiu na frente por um corredor, enquanto o operador de cabo recolhia o mesmo resmungando.
-Que droga! Sou um pesquisador assistente! Não assistente de produção cinematográfica!
O cinegrafista sorriu:
-Que mau humor, Jorge! Eu também sou, mas estou achando legal fazer uma coisa diferente de vez em quando.
-Você está é puxando o saco do Reitor, Renato! Assim ele descola mais aulas pra você.
Renato ficou em silêncio. Jorge desculpou-se.
-Perdão, Renato. Você não precisa puxar o saco de ninguém. Na verdade, você é um dos melhores professores substitutos daqui. Gosta do que faz.
-Gosto mesmo. Amo o que faço.
-Não é perda de tempo, Renato? Ganha pouco e nem mesmo titular você é.
-Está parecendo minha namorada, Jorge. Não estou interessado em dinheiro. E aqui ganho o suficiente para viver...
-...solteiro. É por isso que sua namorada quer que você ganhe mais: para poder ser sua esposa.

0 comentários:

Postar um comentário

ANTES DE COMENTAR:

- não escreva em CAIXA ALTA;
- não divulgue links;
- não escreva com miguxês, internetês e similares;
- respeite as opiniões apresentadas.

Obrigado.

 
T.E.C. © 2010 | Designed by Trucks, in collaboration with MW3, Broadway Tickets, and Distubed Tour | Customized by Sybylla