Prólogo

Universo: este conjunto de letras parece designar apenas o conjunto de corpos celestes conhecidos por diversas raças.
Universo também é a tradução da palavra Jrotala, esta pertencente ao dialeto utilizado pelo meu povo. Entretanto, há uma enorme perda de significado e conteúdo nesta tradução.
Por quê? Para minha raça, os Briees, Jrotala não é apenas a designação do grupo de estrelas e planetas que nos cercam, mas sim do tudo existente. Parece ainda uma definição comum do Universo, mas é algo muito maior.
O Espaço é realmente cheio de maravilhas. Poderemos viver para sempre e, mesmo assim, sempre vamos nos surpreender com o que ele pode apresentar. Há belezas que nunca cansaremos de ver. Lições a aprender atrás de praticamente cada átomo deste todo. Somente as raças que podem viajar pelas estrelas conseguem entender o que realmente Jrotala significa.
Porém, de todas as maravilhas, uma se destaca mais: a vida. Ela tem início em forma de aminoácidos nas grandes nebulosas e se desenvolve em planetas chegando até o ponto de adquirir inteligência. E, quando isso acontece, aí sim ela pode influenciar em outros fenômenos importantes na galáxia (clima, fauna e flora de planetas inteiros são uma boa amostra disso).
Sendo assim, os Briees são guardiões da maior preciosidade do Universo: a história.
Nosso povo foi muito abençoado, pois fomos umas das primeiras raças que surgiu. Assim, pudemos aprender a importância da história e buscar resgatá-la em todos os povos que encontramos. Procuramos manter-nos ocultos, mas, quando somos descobertos, procuramos demonstrar nossa superioridade técnica. Passamos por deuses ou seres muito avançados. Isso nos dá certa liberdade temporária para uma última pesquisa antes de partimos. Não compartilhamos nossa tecnologia, assim como só nos atemos à história, e não à ciência de outros povos. Tanto é assim que não temos um avanço tecnológico há mais de dez mil anos.
Mas o que faz a história tão importante? Um dos motivos é que, muitas vezes, povos avançam tanto que acabam se autoaniquilando. Sem nós, sua história se perderia para sempre.
Outro motivo é o que se pode aprender com o passado. Muitos erros ocorrem pela falta de observância neste princípio. O Império Persa perdeu poder quando foi dividido, assim como aconteceu com outros povos que foram conquistados por este império. Se George W. Bush tivesse observado o que foi feito durante as Cruzadas, ele saberia que o radicalismo nasce do radicalismo, e não teria piorado as relações com o povo muçulmano com as guerras que ele iniciou. Até Hitler talvez tivesse conseguido a vitória se observasse o que aconteceu com as tropas de Napoleão durante o rigoroso inverno Russo.
Talvez você esteja se perguntando por que menciono fatos históricos do planeta Terra. Respondo: sou responsável pelo quadrante da Via Láctea onde se encontra a Terra.
Por este motivo, através destes textos, estarei contando sobre o momento mais crítico da história da humanidade.
Geralmente estas informações se perdem no gigantesco banco de dados dos Briees, mas ela precisa ser contada. Embora ela tenha aspectos muito singulares, há lições muitos importantes a ser aprendidas, qualquer que seja a sua espécie.

9 comentários:

  1. Fabio Brust disse...:

    Um prólogo bastante interessante, Sr... você :D
    Sou escritor, também, e vi seu tópico na comunidade "O Escritor e Sua Sinopse" e decidi ler para ver como era. Claramente, uma história de ficção-científica.
    Gostei da pesquisa que você fez (ou que não fez) a respeito do começo do universo e dos fatos históricos da Terra, envolvendo as Cruzadas e a Segunda Guerra Mundial. Se continuar assim, será bastante interessante e esclarecedor, em alguns sentidos.
    Gostaria, porém, de saber se você tem alguma sinopse, ou resumo da história, pois é sempre bom ter uma ideia do que vamos ler ;)
    Além disso, queria dizer que os nomes estranhos... não sou muito apegado a eles, mas cada um tem seu gosto! Não sei se você já leu a história "O Cair da Noite", de Isaac Asimov.
    Eu não li.
    De qualquer maneira, a história se passa em um planeta distante, que tem seis sóis. No começo (a única parte que tive coragem de ler no computador), em um prefácio, ele explica que, mesmo sendo um planeta completamente diferente do nosso, ele usará palavras normais, como as que utilizamos aqui. Isso facilita a leitura, e dá um aspecto menos... aéreo à obra. Poderia-se colocar que, embora em sua raça "Universo" seja chamado de Jrotala, o narrador prefere chamá-lo de Universo para facilitar as coisas, ou algo assim.
    Apenas uma opinião, é claro.
    Se quiser conversar, fale comigo pelo orkut ou algo assim. Deixarei um pequeno comentário no seu tópico na comunidade, para que possa me encontrar.
    E não se assuste. Sou um garoto, mesmo ;)
    Abraço! Continue escrevendo, sempre.

  1. Narrador Briee disse...:

    Obrigado pelo apoio, Fábio! Realmente fui cuidadoso com o que coloquei em meu livro. Para você ter idéia, passei semanas pensando sobre como seriam as viagens acima da velocidade da luz. Precisei ler algumas revistas científicas "pesadas" para achar um modo plausível somente para se iniciar a viagem. Não se preocupe com a idade: as grandes mentes da humanidade, aquelas pessoas que mudaram o mundo, começaram com sua curiosidade pela ciência.
    Eu não havia pensado nesta idéia de adaptar os nomes, mas vou procurar não exagerar muito nos nomes alienígenas e tentar fixá-los bem para o leitor.
    Irei colocar uma sinopse aqui e na página do orkut e tentarei responder aos posts rapidamente.
    Obrigado novamente por prestigiar a página!

  1. Anônimo disse...:

    cool

  1. Narrador Briee disse...:

    Aqui vai a sinopse:

    Há milhares de anos, uma raça incrivelmente avançada dominou a galáxia. Os arqueólogos estelares os chamaram de Precursores. Mas quem foram estes Precursores?
    Mas os humanos que vivem no chamado "Braço de Sagitário" têm perguntas mais urgentes: existe aqui algum planeta que atenda às suas necessidades? E, por falar em planeta, o que aconteceu com os humanos que ficaram na Terra?
    Estas e outras perguntas serão respondidas depois que um arqueólogo humano encontrar a T.E.C. : Tecnologia Estelar Complementável.

    Por favor, visitem, deixem comentários, divulguem!

    Obrigado!

  1. Sylvinho disse...:

    Eu como grande admirador de literatura científica não poderia deixar de cumprimentá-lo por esse capítulo que talvez seja um dos mais memoráveis que li......No aguardo de novos capítulos.......

  1. Narrador Briee disse...:

    Muito agradecido, Sylvinho! É muito bom saber que a leitura está agradando.

  1. Duda Falcão disse...:

    Começarei a acompanhar a série nas férias. Ou seja, a partir de dezembro. Logo volto aqui novamente. Um abraço e parabésn pela iniciativa!

  1. Narrador Briee disse...:

    Muito agradecido, Duda!!! Espero que esta série contribua para que estas férias sejam "do outro mundo" para você.;-)

  1. Brenno capuz vermelho disse...:

    Eu tive a oportunidade de te conhecer e comprar seu livro, adorei seu trabalho, tudo de bom para voc~e

Postar um comentário

ANTES DE COMENTAR:

- não escreva em CAIXA ALTA;
- não divulgue links;
- não escreva com miguxês, internetês e similares;
- respeite as opiniões apresentadas.

Obrigado.

 
T.E.C. © 2010 | Designed by Trucks, in collaboration with MW3, Broadway Tickets, and Distubed Tour | Customized by Sybylla